17/03/2014

Julio Verne - Viagem ao centro da Terra



VIAGEM AO CENTRO DA TERRA - um clássico para todas as idades

Na sua tranquila casa de Hamburgo, o excêntrico Professor Lidenbrock descobre, por acaso, o manuscrito de um alquimista islandês do século XVI, no qual este revela ter atingido o centro da Terra através da cratera do Sneffels, vulcão extinto da Islândia. Seguir-lhe as pisadas é a determinação imediata do sábio que, logo um mês depois, inicia a sua arriscada viagem na companhia do sobrinho Axel e de um guia local chamado Hans. Os três homens penetram pois, nas entranhas do globo terrestre, mas muitas e pasmosas surpresas os aguardam

O QUE ACHEI:
Esse foi o primeiro de Julio Verne que li e sinceramente, seria o primeiro dos top 10 de aventura de todos os tempos.


Esqueçam o filme com Brendan Fraser, tão bonito quanto divertido. Esqueçam o enredo do filme, apesar de ter sido praticamente o mesmo usado por Julio Verne, em seu famoso livro.

O professor Otto Lidenbrock é o típico senhor cientista europeu do século XIX: sistemático, antipático, cheio de regras e chato... O sobrinho vai conhecer, entretanto, o outro lado do professor durante essa incrível e inesquecível viagem. 

O meu primeiro livro de Julio Verne foi "Volta ao Mundo em 80 Dias" e mesmo com sua linguagem fluída, a trama superficial e voltada apenas para a aventura, o livro é de um tom contagiante. O mesmo ocorreu com esse, onde seremos levados juntos com o trio de aventureiros para um mundo quase pré-histórico... no centro do planeta. E aprenderemos mais sobre geologia, botânica e outras ciências (o livro pode ser considerado uma 'ficção científica' de certa forma).

A literatura mais uma vez é superior ao cinema e à tevê, não tenha dúvida, e se você já assistiu ao filme, leia também o livro. Você vai mergulhar mais fundo, não só até o centro da terra, mas no mundo do professor Lidenbrock, com suas incríveis descobertas e no talento de Julio Verne, que prenderá você, da primeira à última linha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...