13/03/2014

Anne Weale - O preço de uma ilusão



Anne Weale - O preço de uma ilusão
Bianca nº 3

Cathy, a irmã mais nova de Lúcia, jurava que só se casaria por dinheiro. Para provar o que dizia, namorava Nicholas Curson, um grego rico e muito charmoso. Lúcia sabia que Cathy não o amava e duvidava da sinceridade de Nicholas. Então, quando ele as convidou para passar as férias em sua casa, na Grécia, Lúcia teve de ir, para proteger Cathy. Mas, quem a protegeria da paixão que começou a nascer em seu coração por aquele grego forte e maravilhoso, que jamais poderia ser seu, pois era noivo de sua própria irmã?

O QUE ACHEI:
Uma outra autora dos anos 60, 70 e 80 que escrevia bons romancinhos água-com-açúcar. Este foi o primeiro dela que li, e ao que andei percebendo pelos comentários de outras leitoras, Anne Weale acertava a mão nos seus romances. Essa respeitável senhora, nascida em 1929 e falecida em 2007, escreveu cerca de oitenta romances, a maioria histórias de amor.

Em 'O preço de uma ilusão' temos uma mocinha tipicamente inglesa dos anos 60, da cabeça aos pés: Lucia é recatada, contida, reservada e mais ou menos fleumática, mas tem uma irmã que é o seu oposto em tudo. Cathy, a meia-irmã fruto da união de seu pai com uma mulher leviana e futil, é também fútil, namoradeira, irrequieta, assanhada. Lucia toma o encargo difícil de "cuidar" da irmã mais nova, quando o pai e a madrasta morrem e ambas moram juntas num casarão antigo, herança paterna. Porém quase sempre Lucia fica sozinha nos fins de semana, enquanto a espevitada e exibida Cathy, que dizem também ser "linda", sai passear, visitar amigos, namorar. E num belo dia, conhece o grego Nicolas, mais velho que ela e a quem Lucia passa a detestar... No texto não fica explícito o preconceito - contra ele, por ser moreno e estrangeiro - mas dá para se deduzir isso de algumas conversas entre as irmãs.

Cathy é uma criatura insuportável para quem vai ler a história. É chata, mimada, se aproveita da bondade da outra... e assim, quando o grego a convida para ir passar alguns dias com ele, na Grécia, a pobre - e tola - Lucia quase enlouquece.

Mas... romances são romances. Muitas coisas irão mudar, quando as duas irmãs - uma alegre, exibida, arrogante e linda, a outra tristonha, acabrunhada, humilde, fechada e se considerando "feia" vão para a ilhota Marina, nas Ilhas Gregas. Lá, uma reviravolta vai fazer com que a arrogante Cathy experimente um pouco do pão 'que o diabo amassou' no começo. Eu bem que torci pra que ela quebrasse aquela cara safada... Mas no final, Lucia também come do mesmo pão, até que as reviravoltas da trama se desfizessm em um mar de rosas.

Achei bom o romance, que tem um final muito abrupto e um castigo muito, muito leve para a malvada e arrogante Cathy e uma recompensa muito atrasada para Lucia. Mas valeu. Nota 9.0.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...