29/11/2013

Telyka Madelynne - Destinos Entrelaçados [degustação]

Mariah, uma flor de sensibilidade e beleza, com um pai autoritário e cruel, teria ainda direito de sonhar com o verdadeiro amor?

Mariah enxuga furtivamente as lágrimas que descem por seu rosto, tocada pela emoção do drama que se desenrola no palco. Sob a penumbra do camarote, seus olhos mal divisam a mão que lhe estende um lenço de linho. Ao levá-lo ao rosto é envolvida pelo mesmo perfume da estranha rosa amarela entre as do arranjo que recebera naquela tarde.
Então as luzes do teatro se acendem deixando-a em frente a um homem que nunca vira antes.
Sente o rosto se aquecer violentamente ao observar uma sombra de sorriso no semblante sério. Só então tem ciência de que devia estar boquiaberta, observando-o. Presa sob a mira de olhos examinadores que passeavam sem pressa por seu rosto, produzindo-lhe um estranho calor, Mariah logo sente um arrepio em sua nuca.



“Extremamente ingênua.” A mente teima em lhe advertir desde que notara o constrangimento dela no teatro. “Pura como uma pedra preciosa em seu estado bruto”. Mesmo sem os adornos dos quais as mulheres todas faziam uso, a mocinha era a promessa pura de ser uma das mais lindas mulheres que ele já vira.
Como não seria ele a desabrochá-la, pois os planos eram outros e não queria se desviar um só passo da meticulosa e elaborada vingança. Depois que o casamento fosse concretizado, deixaria passar alguns dias e libertaria a mocinha, anulando-o. Prestaria-lhe toda a assistência jurídica necessária, até que ela resolvesse se casar novamente ou tomar outro rumo na vida. Vida essa que com certeza não seria do seu lado. Por que ele, Ricardo de Los Reyes Maciel não perderia seu tempo com o amor e suas inconveniências. Nem mesmo para iniciar uma linda moça nas deliciosas artes amorosas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...