27/11/2013

Pat Kovacs - Asas Negras - Hybrida - degustação


Uma saga que mistura magia, ação, aventura e muito romance...!

Sinopse do Clube de Autores:
Faz muito tempo que iniciei essa história... o seu primeiro rascunho foi feito em 1997, em uma época em que eu vivia Histórias em Quadrinhos e isso era tudo que povoava a minha mente, a ponto de querer como profissão. Não era mais tão jovem, mas tinha imaturidade suficiente para almejar tal coisa – e investir muito tempo nisso!
Os primeiros rascunhos foram feitos como roteiro para HQ, da forma mais simplória que eu sabia fazer, enfatizando pequenas ações e diálogos, contando com minha memória para compor as situações e os cenários que me vinham à mente no momento da sua concepção. Asas Negras era para ser um mangá, um shoujo mangá, a HQ japonesa destinada ao público feminino infanto-juvenil. As primeiras trinta páginas chegaram a ser desenhadas e artefinalizadas, de fato. Mas apenas a metade do que compõe este livro foi realmente roteirizado àquela época.
O tempo passou, e passou muito! Mais de uma década se foi sem que eu completasse a pequena obra, porém, jamais me esquecendo dela. E foi no início de 2009, enquanto eu me recuperava de uma cirurgia, que resolvi desengavetar o então roteiro de mangá e testar a minha capacidade de contar uma história original, no sentido de ser toda de minha autoria, desde o enredo até os personagens. Até então, eu apenas escrevia fanfictions sobre os livros de Harry Potter, utilizando-me de um alterego masculino, que sempre, desde que ele surgiu em minha vida em 2004, eu creditei a uma consciência individual e muito diferente da minha: Snake Eyes.
O que foi apenas uma mera brincadeira de entretenimento, acabou ganhando contornos mais ambiciosos, pois chegou uma hora em que apenas postar capítulos na internet não era mais suficiente para o Ego. E queríamos mais: queríamos que AN se tornasse um livro de verdade, com direito a uma capa trabalhada e papel impresso!
E o livro saiu! Muito bonito (eu já tenho o meu exemplar), com uma capa linda criada pela própria Pat, que também é artista gráfica em uma cor incrível: O tom lilás das flores e das fontes dá uma sugestiva sensação de lirismo e misticismo. O romance é uma saga de fantasia que não fica devendo nada às melhores sagas internacionais, como a de J. K. Rowling e seu inesquecível Harry Potter. Não, não estou jogando confete ou exagerando. O livro é bom e as grandes editoras devem se "espertar" e procurar por esses tesouros ocultos da literatura nacional independente, pois o potencial dessa série é grande.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...