09/02/2013

Resenha – Centúrias, de Bruna Longobucco

Meu Achismo:
Repleto de elementos da cultura pop mesclados ao esoterismo, Centúrias é um livro de Literatura Fantástica juvenil, que deve agradar aos fãs de séries televisivas ao estilo “Jovens Bruxas”, de livros de magia e desenhos animados do bom e velho estilo cartoon.
O início é muito bom, tanto que poderia ter um livro à parte, narrando esse passado longínquo que originou a cidadezinha Pitfal (sim, também estranhei o nome, já que é o título de um jurássico game de Atari – e que joguei muito!).
Ayla, a protagonista, descobrirá sobre o seu destino, intimamente interligado à história e realidade da pequena cidade fictícia. Passada pelo interior de Minas Gerais, terra da Autora, a história é permeada por belas paisagens campestres e cidades pequenas.
Centúrias é uma antiga ordem de bruxaria branca, em que apenas mulheres podem compor. E apenas 100 bruxas podem compor tal ordem, daí a sua denominação: centurianas.
Aylá acaba na minúscula e pacata Pitfal a muito contragosto. Mas vai se adaptando. Até que conhece a avó, que é uma poderosa centuriana, e o grande amor de sua vida, com quem tem um forte laço kármico e, juntos, uma emocionante missão a cumprir.
Achismo Final:
Acredito que Centúrias deva agradar ao público infanto-juvenil feminino, pelas influências da cultura pop atual, dos best-sellers mais pajeados como Harry Potter e Crepúsculo, e pelo humor típico de cartoons. Inclusive, há uma qualidade muito legal nas bruxas de Centúrias: elas podem conversar com animais!
Humor, batalhas de magia entre o Bem e o Mal, um grande amor posto à prova e uma séria missão a cumprir: eis a base desta obra independente - mesmo que lançada por uma editora. Não se iludam: a maioria das obras lançadas atualmente tem uma enorme participação financeira dos autores. Terra Brasilis: onde são os escritores que LANÇAM as editoras! É o empregado pagando para trabalhar :/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...