17/01/2013

Elizabeth Gage - Confissão (resenha)


                             Um único pecado numa vida inocente mudou esta família para sempre.

Rebecca: Ela é a esposa e mãe perfeita... aparentemente. Mas a verdade é que, apesar de não demonstrar, está vivendo em desespero.
Damon: Ele é rico, poderoso e invejado. E infiel! Rebecca aprendeu a fechar os olhos para os defeitos do marido... até para o fato de ele ter uma amante.
Dusty: Ela é a única filha do casal, a riqueza de ambos. E está crescendo rapidamente e se afastando de sua família "perfeita".
Então, Dusty traz para casa seu jovem noivo. Ele é tudo que os pais poderiam desejar para a filha. Mas o destino arma sua teia...

O QUE ACHEI:
Um livro que me deixou impressionada, tanto por sua profundidade psicológica (que não é comum em livros da coleção água-com-açúcar da NC), como pelo enredo, comovente e um nostálgico.
Como começar a resenhar essa obra, que tem toques de "Madame Bovary", de Flaubert, um pouco de "Wuthering Heights", de Brontë e um  um tanto de "Ana Karenina", de Tolstoi. Mas no fim das contas não é nem um, nem outro, mas um romance moderno, feminino, cor-de-rosa, apesar de dramático e profundo.

A história mexe com nossa sensibilidade e tem várias facetas paralelas do mesmo drama e da mesma trama.

A principal é a história da protagonita, Rebecca, uma mulher de meia-idade, que se considera "sem graça, quase feia" e ligeiramente acima do peso. Entretanto, a autora não fala com clareza se tais coisas são apenas pensamentos de Rebecca, ou fatos. Ela é casada com Damon, um advogado bem-sucedido e símbolo supremo do 'macho-alfa': metido, pai ausente e com uma amante, que a esposa-amélia aceita de cabeça baixa. Por tudo isso, Damon se tornou para mim, um dos mais odiosos personagens literários que eu conheci até hoje!

Quando eu comecei a conhecer melhor Rebecca, me fiz a pergunta: Como podem existir mulheres assim? Esposas que se rebaixam a isso? Está certo, ela tinha uma vida tranquila, dinheiro, cartões de crédito, mas não usava nada disso em favor próprio. Não era vaidosa, dedicava-se quase exclusivamente a ser a anfitriã perfeita para as festas e recepções de Damon, e a mãe perfeita. E sua vida era de uma monotonia revoltante!

Enquanto Damon levava uma vida agitada, cheia de compromissos e aventuras amorosas, com uma carreira profissional em ascendência, a de Rebecca era o oposto. Ela nem a companhia da querida filha tinha: Dusty estava na universidade (como nos Estados Unidos o costume é os filhos saírem de casa, quando entram para as universidades).

O fato é que o destino, apesar de tudo, fez uma tremenda bagunça na vida dessas pessoas. De uma família inicialmente feliz e equilibrada, fez um quebra-cabeças de vidas despedaçadas, amargas e infelizes... Até certo ponto, já que Damon é o que menos sofre em toda a história.

E Rebecca? Um drama amoroso, uma aventura de amor, loucura, paixão e tragédia a espera, quando Tony, namorado de sua filha, se apaixona por ela.


 

 É compreensível, de certa forma, que o jovem possa ter se encantado com Rebecca: Uma mulher inteligente, culta, com aquela aura de mistério quase mágico que nenhuma moçoila da idade dele teria... Porém, é uma história que nos perturba, porque Tony não apenas se "apaixona" (já que paixão é algo curto, acaba logo), mas vai amá-la de tal forma e com tal intensidade que assustará a todos.

Não quero fazer spoiler, embora a tentação de relatar o que senti seja forte. Entretanto, posso assegurar que: O livro é de uma força incrível, já que os leitores (suponho que quase todos), irão ter grande empatia por Rebecca, sua vida, seu amor e a dor de sentir-se dividida. Também, acredito, o personagem Damon vai inspirar muita antipatia entre as mulheres (pelo menos), por seu caráter fraco, machista, sendo ele o pior tipo de homem que existe: O que não vê numa mulher nada, além de sua capacidade de satisfazê-lo sexualmente. Tanto que, a certa altura, ele manterá duas amantes, apenas para satisfazer sua necessidade subcosciente de vingança contra Rebecca.

E enfim, temos Dusty. Uma moça bonita, inteligente, cujo destino vai sofrer muitas reviravoltas na história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...