08/12/2012

Helen Arvonen - Portão para a morte

Sinopse:

Trudy viajara para aquece local com o fim de descobrir o paradeiro de sua amiga Kay, que lá desaparecera misteriosamente. Mais tarde, porém aquelas mãos assassinas, que a ameaçam, a fazem compreender a trama diabólica.

O QUE ACHEI:
Trudy vai trabalhar em uma cidadezinha do interior, na Hospedaria Knucklebone, com o único fim de descobrir o paradeiro de sua amiga, quase uma irmã, Kay Dee. Esta a deixara, alegre pela expectativa de não só encontrar um trabalho, mas talvez um namorado ou marido. Porém as cartas cessaram e Trudy simplesmente sumira do mapa.


Trudy não se conforma com as respostas vagas da polícia e resolveu ela mesma ir atrás da amiga.

Na Hospedaria Knucklebone ela fica conhecendo diversos personagens curiosos e bizarros, como a alegre Angela, o bonitão Toivo Petrucci (dono da hospedaria), os dois velhotes, Matti e Rocco Petrucci - os dois avôs de Toivo, materno e paterno - o respeitável casal Olive e Morton Ormsby e seu filho, o bonito e tímido Hugh.

 Logo ela perceberá que houve algo estranho por ali, que além de Kay (sumida), também já houvera outros desaparecimentos, como a irmã de Angela, Laurell. Todas as duas jovens foram consideradas "fugitivas", ou seja, que tinham fugido ou ido embora, com algum rapaz bonitão e ninguém se tocava que elas poderiam, eventualmente, ter sido assassinadas. Até que essa suspeita se torna uma certeza para Trudy. Ela mesma se tornou alvo do misterioso assassino.





A história parece enrolada no começo, um pouquinho cansativa, mas depois depois de algum tempo, há mais ação e várias suspeitas. O interessante aqui, como nas histórias de Agatha Christie, é a jogada de "quem é o bandido, quem o vilão". Quem você julga suspeito e estranho, bizarro e perigoso pode ser justo o contrário. E os mocinhos... os bonitões, podem ser os assassinos.

Helen Arvonen é uma escritora de romances góticos, das décadas de 60 e 70. Esse livro faz jus ao tema, com suas paisagens campestres cheias de sombras e umidade, uma mocinha solitária e desamparada, assassinatos e um mistério aparentemente insolúvel.

O final foi surpreendemente bem bolado. Não daria para imaginar que o assassino fosse tal pessoa e os motivos? Muito curiosos e também bem pensados.

O livro pode ser medíocre, como livro de bolso que é, mas a trama é legal para quem gosta de mistérios. Satisfatório!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...