04/06/2012

Sandra Clark - Lobo selvagem


Um lobo de verdade...? Ou um cachorrão malandro?

Localizar e pesquisar uma tribo esquimó no extremo norte do Canadá parecia, para Belinda, um trabalho fascinante e um grande desafio. Mas suas esperanças e seu sucesso dependiam de um homem que, desde o princípio, deixou bem claro que ali não era lugar para uma mulher branca. Apesar de ser inglês, Barron vivia há muitos anos entre os esquimós e tinha se tornado um deles. Aceitava seus costumes primitivos e desprezava o mundo civilizado que Belinda representava. Sua fama de homem corajoso e às vezes até feroz era conhecida nos pontos mais longínquos dos vales e montanhas gelados. Para os nativos, ele era Amaruq, "o Lobo": perigoso, assustador, selvagem, irresistível!

O QUE ACHEI:
Como os antigos Biancas, desta história só curti a ambientação e a descrição, não muito pródiga, da vida dos esquimós.

A mocinha é socióloga, e quer estudar a vida de uma tribo esquimó mais ou menos selvagem. Contava com a ajuda do "lobo" Barron, mas este não parece absolutamente muito a fim...

Os dois acabam se sentindo mutuamente atraídos, porém ao final, uma constatação bem pouco atraente acaba "quebrando o clima".

Não vou dizer o que é, se você quiser ler e constatar por si mesmo... mas não é dos melhores romances que já li.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...