26/06/2012

Paul I. Wellman - Teodora, de cortesã a imperatriz


Teodora, de cortesã a imperatriz - Paul I. Wellman
Editora Vecchi Tradução de Iolanda Guaspari Coleção "Vidas Extraordinárias"

Constantinopla, a sofisticada capital do Império Romano do Oriente, abrigava no século VI o mais gigantesco centro de prostituição do mundo inteiro - a Rua das Mulheres. Era aquele um espetáculo inesquecível, e desse antro de pecado, emergiu uma encantadora jovem de olhos e cabelos negros em vivo contraste com a lividez do rosto: Teodora, a formosa e arguta cortesã, estava destinada a tornar-se imperatriz de Bizâncio. É quase incrível a história de Teodora, que elevou-se, da mais humilde prostituta, filha das ruas, à posição invejável de imperatriz, esposa de Justiniano. A obra do escritor norte-americano Paul I. Wellman é rica nas descrições e no vigor dramático das suas personagens.

Editora: Vecchi
Ano: 1957
Páginas: 420

O QUE ACHEI:

Eu li esse livro aos quinze anos de idade, e mesmo sendo, à primeira vista, um livro pouco aconselhável para menores, o texto é tão fluído, tão coeso, tão discreto, que não existe nada ali que o torne contra indicado para adolescentes.

Apesar de a vida de Teodora, mulher de Justiniano e pouco conhecida imperatriz, ser descrita nos mínimos e mais sórdidos detalhes, o escritor o faz com muita elegância, conforme era comum dos autores dos anos 40 e 50, que mal se notam ali as infâmias e crueldades da época. Assim, fiquei conhecendo sobre aquela mulher, uma ex-prostituta, saída das ruas e da miséria dos lodos de Constantinopla, para uma vida de luxo.
Amano Magic Flute, by Deviouselite


Mas Teodora não mudou de vida assim, da noite para o dia, não. Ela sofreu, comeu o pão que o diabo amassou, antes de cair nas graças de um figurão de Bizância, que enriqueceu, embelezou e a tornou uma das "cortesãs" mais famosas e requisitadas.

O que se destaca na narrativa, é o amor entre Teodora e um escravo, quando foi amante de um certo político e governador de província. É descrita com muita emoção a paixão de ambos, apesar de o escravo saber que aquilo estava condenado... E de fato, o amor deles acabou mal.

Depois de mais aventuras difíceis, fome, miséria, uma gravidez e um aborto, Teodora foi novamente agraciada pela sorte e recebida pelo famoso Justiniano, com o qual se casou.

Vale a pena, um livro antigo (não se acha mais em livrarias, talvez em alguns sebos), mas com uma narrativa e realismo muito atuais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Os bons comentários são os alimentos dos blogs...